Search

Na manhã desta quinta-feira (04), diretoria e manejadores da COOMFLONA reuniram para discutir o planejamento das atividades do Manejo Florestal Flona Tapajós 2016. No momento foram fornecidos pela equipe técnica da COOMFLONA todos as informações e esclarecimentos sobre outros serviços da COOMFLONA na exploração do Projeto Tapauá Florestal- Concessão Moraes de Almeida.
Coomflona referência de Manejo Florestal Sustentável na Floresta Nacional do Tapajós.

Emp. Ambé Br 163.

FB_IMG_1470332088413

FB_IMG_1470332075119

FB_IMG_1470332062821

EDITAL ESTAGIARIO (A) 001

download (53)
A COOMFLONA – Cooperativa Mista da Flona do Tapajós está contratanto os seguintes profissionais:

Técnico de Segurança no Trabalho
Técnico em Enfermagem no Trabalho
PERFIL
Experiencia comprovada na área
Disponibilidade para trabalhar na Base Operacional do Km 117, da BR 163, Belterra/PA
Oferecemos contato CLT, alimentação,moradia, transporte e assistência médica.

Os interessados enviar CV até o dia 30/07/2016 para o e-mail: tstmauriciopereira@hotmail.com ou
entregar em nosso ESCRITÓRIO: AV. MAGALHÃES BARATA, N° 2283 – ESPERANÇA – SANTARÉM/PA (em frente ao Terminal Rodoviário)

001

002

003

004
EDITAL ESTAGIARIO (A) 001

A COOPERATIVA MISTA  DA  FLONA  DO  TAPAJOS  – COOMFLONA, Realizou neste dia 20 de Dezembro as 16 horas o   pregão para a comercialização de madeira certificada (RA-FM/COC-006712)  em forma de toras de variadas espécies. Um total  estimada em 9.870,333 m³ (nove mil, oitocentos e setenta metros cúbicos e trezentos e trinta e três decímetros cúbicos), oriundas de exploração do Plano de Manejo Florestal Sustentável de Uso Múltiplo,100% comunitário. toda transação foi realizada através da coordenação  administrativa da instituição.  presidente, secretario, cooperados e servidores . O eventos foi realizado na COOMFLONA  localizada a Avenida Magalhães Barata, nº 2283, bairro da Esperança, Santarém-Pa.

Depois de varias negociações. Teve como ganhador da licitação a empresa MADEIREIRA RANCHO DA CABOCLA LTDA. satisfação das ambas as partes. represeentante da recebe  uma singela homenagen de reconhecimento de paceria .

Um site na internet não é mais um luxo para poucos, e sim uma regra geral para empresas que querem sobreviver em um mercado cada vez mais agressivo e um mundo globalizado.

O Brasil é o país que apresenta maior crescimento, atualmente, no que toca à usuários de Internet. Relativamente, este crescimento é maior até mesmo que o dos Estados Unidos. Com o aumento da interatividade, segurança e velocidade, aliado à redução dos preços cobrados pelo acesso à rede, a Internet deixou de ser um mero instrumento de pesquisa para tornar-se uma ferramenta de marketing e vendas muito poderosa.

Pensando nisso, a Coomflona reestruturou seu antigo site, por meio de uma agência de desenvolvimento de websites e consultoria em TI de nossa região, visando tornar mais acessível nossas atividades e promover a divulgação dos produtos da Ecoloja Tapajós.

Nosso website foi estruturado em uma plataforma que trabalha com as mais atuais tecnologias no ramo: HTML5, CSS3 e JQuery.

Além disso, o design do site é totalmente responsivo, uma novidade que faz com que ele automaticamente adapte-se a qualquer  resolução de dispositivos com acesso à internet. Seja em seu smartphone, tablet, ou pc, nosso website se organiza segundo a tela do dispositivo que está sendo utilizado.

A Cooperativa Mista da Flona Tapajós (Coomflona) preparou para o dia 6 de dezembro um grande evento para inaugurar a Ecoloja Tapajós, que terá produtos confeccionados a partir de galhos e madeira maneja -ambos certificados. A programação prevê também a assinatura de termo de parceria entre a Cooperativa e o Instituto Floresta Tropical (IFT), Instituto Internacional de Educação do Brasil (IEB) e Universidade Federal do Oeste do Pará (Ufopa).

Na ocasião a Coomflona receberá formalmente o selo de Certificação 100% comunitário, que foi alcançado após uma série de auditorias que analisou aspectos sociais, ambientais e econômicos relacionados a nove princípios do padrão Slimf (em inglês, Small and Low Intensity Managed Forests). As auditorias foram conduzidas pelo Instituto de Manejo e Certificação Florestal e Agrícola (Imaflora) e envolveu entrevistas e visitas técnicas ao longo do segundo semestre de 2013.

Fonte: http://manejoflorestalcomunitario.blogspot.com.br/2013/11/coomflona-organiza-loja-com-produtos.html

A Floresta Nacional do Tapajós, no Pará, é modelo para outras Unidades de Conservação que estão iniciando suas atividades de manejo florestal madeireiro comunitário e familiar.

A população tradicional se organiza para esta atividade por meio da Cooperativa Mista da Floresta Nacional do Tapajós (COOMFLONA) – fruto da união da Associação Intercomunitária de Mini e Pequenos Produtores Rurais da Margem Direita do Tapajós de Piquiatuba a Revolta  (ASMIPRUT), da Associação Intercomunitária de Pescadores, Trabalhadores Rurais e Seringueiros do Tapajós (AITA) e da Associação de Moradores e Pequenos Produtores Rurais de São Jorge, Santa Clara, N.S. de Nazaré e Nova Vida (APRUSANTA).

Em 2009 a cooperativa recebeu o Prêmio Chico Mendes, categoria Negócios Sustentáveis, pela produção e comercialização sustentável de produtos da floresta, ajudando a proteger a vegetação além de garantir às famílias que vivem na floresta geração de renda e inclusão social.

Fonte: http://www.icmbio.gov.br/portal/o-que-fazemos/populacoes-tradicionais/producao-e-uso-sustentavel/uso-sustentavel-em-ucs/244-floresta-nacional-do-tapajos6.html

Mais um sonho que se torna realidade para o povo tradicional da Flona Tapajós, que estão podendo contemplar a conclusão da tão sonhada estrada Transtapajós.

A obra contou com apoio da equipe de gestão da Flona do Tapajós- ICMbio ( Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade), que tem como gestor Fábio Carvalho, que não mediram esforços para que a autorização da obra fosse liberada e também da diretoria da Cooperativa Mista da Flona Tapajós(COOMFLONA), que fez um investimento de quase 1 milhão de reais, para fazer a abertura e manutenção de mais 40 quilômetros de estrada com recursos próprios da cooperativa.

Vale ressaltar que segundo o presidente da COOMFLONA Sérgio Pimentel, não houve apoio da prefeitura na primeira etapa. “Mesmo sem o apoio do governo, o que nos motivou foi, a convicção de poder realizar um sonho de todos os moradores da Flona, quando entrei em Pini e depois em Itapaiuna, pela primeira vez de carro me emocionei, vi que é possível ter sonhos realizados, quando se tem apoio das pessoas certas”.

O presidente disse ainda que o apoio da prefeitura na segunda etapa, colocando seu maquinário para fazer a terraplanagem e empiçarramentos das ladeiras, foi muito importante, porque nesta fase a Cooperativa entrou com o combustível que foi repassado para as comunidades, que administraram os repasses para a SEMOV (Secretaria Municipal de Obras e Viação) e ajudaram voluntariamente na obra, tirando madeira e construindo as pontes.

Manoel Faca, um dos comunitários que trabalhou de forma voluntária na obra, afirma que somente na construção das três pontes o poder público economizou cerca de 150 mil reais além do apoio logístico, como alimentação que foi tudo por conta das comunidades.

Nesta quarta-feira (16), o presidente da Coonflona, esteve acompanhando de perto a obra até a comunidade de Itapauna e perguntado se depois de ver este sonho realizado, a Cooperativa iria continuar investindo na manutenção das estradas e que não estava chateado quando membros do governo municipal divulgavam de forma secundaria o apoio da Coonflona na obra. Ele enfatizou dizendo “Tenho certeza que sim, é difícil uma pessoa que vem lá do interior das comunidades, ver as comunidades na mesma situação, nós da diretoria demos esse apoio, e outra diretoria que vir, vai continuar dando esse apoio, só assim as comunidades terão uma qualidade de vida melhor, transporte melhor. É impossível ver o sofrimentos das pessoas e não poder ajudar e agente tendo condições, claro que vamos ajudar”. Finalizou.

Embora não seja divulgado a Coomflona, tem contribuído de forma expressiva dentro da Flona Tapajós, e em parceria com o executivo municipal tem mantido trafegável as estradas que dão cesso a Flona e também tem doado madeira para construção de escolas, postos de saúde e na parceria com ICMbio e prefeitura, doou madeira para a construção de 15 casas para as famílias que deixaram o corredor ecológico , para morar na área da comunidade de São Jorge, além de apoiar os festivais religiosos e culturais da Flona.

Uma reunião entre representantes de uma grande mutinacional do ramo de perfumaria e diretores da COOMFLONA-Cooperativa Floresta Mista da Flona Tapajós, foi realizada na sexta-feira, no município de Belterra, Oeste do Pará. O objetivo do encontro foi conhecer a cooperativa e sua estrutura, além da viabilidade para se implantar as parcerias dentro dos padrões estabelecidos pela empresa e órgãos.

Estiveram presentes além dos representantes da empresa e do presidente da COOMFLONA, Sérgio Pimentel, os representantes de órgãos parceiros da Cooperativa como Serviço  Florestal Brasileiro (SFB), ICMbio – Instituto Chico Mendes de Proteção da Biodiversidade, UFOPA – Universidade Federal do Tapajós, colaboradores e cooperados.

Os representantes da empresa saíram bastante otimistas do encontro por conta dos serviços social que a Cooperativa realiza, por  ela ser modelo de sustentabilidade dentro de uma Unidade de Conservação, além de ser  a única que tem a autorização para a exploração dentro da Floresta Nacional do Tapajós, sem falar que a COOMFLONA hoje já  produz 40 mil metros cúbicos de madeira por ano, dos quais 20 mil vão para a indústria madeireira e outros10 mil que são resíduos vão para a indústria moveleira e o restante dos resíduos ainda não tem um destino final e é justamente o que interessa à indústria de perfumaria.

Os diretores da multinacional fazem uma visita à sede do empreendimento AMBÉ (COOMFLONA), no município de Belterra e aproveitam para conhecer a Floresta Nacional do Tapajós e observar a viabilidade de cultivo de espécies que também são usadas na produção de perfumes.

O presidente da Cooperativa, Sérgio Pimentel, saiu bastante otimista com a possibilidade da parceria com a multinacional. “Temos tudo que a empresa precisa, temos os parceiros certos e a parceria tem tudo para dar certo. O grande obstáculo é a logística que é a grande dificuldade da nossa região, mas se for viável podemos industrializar aqui mesmo dentro da Flora doTapajós e isso seria fantástico”, finalizou Sérgio Pimentel.

Fonte: http://m.oimpacto.com.br/atualidades/multinacional-podera-investir-no-municipio-de-belterra/